Macapá de Luto

Macapá amanheceu ontem com a notícia do falecimento do ex-vereador e ex-funcionário do Banco do Brasil, Enélio Leite.

E findou a noite com a notícia do brusco falecimento do engenheiro Civil João Nobre Lamarão.

Lamarão, engenheiro da SEINF, foi a Brasília ontem tratar de projetos de Infra-Estrutura no programa Calha Norte. Sentiu-se mal ainda no aeroporto de Brasília, onde foi atendido pelo serviço médico e encaminhado de ambulância ao hospital Brasília. Na ambulância fez quatro paradas cardíacas e faleceu.

Lamarão era alegre participante da vida cultural, social, política e econômica de sua querida Macapá. Escreveu o livro “Falar Tucuju” com verbetes da linguagem do macapaense, principalmente resgatando o jeito de falar dos habitantes mais antigos.

Blog consternado envia votos de pesar as famílias de Enélio e João Lamarão.

Lamarão com meus irmãos Zoth e Alcione
Lamarão com amigos na Confraria Tucuju

Obs – Assim que forem confirmadas informações do velório, postaremos aqui

Atualização às 12:55

O corpo de João Lamarão chegará de Brasília às 23:45 e será velado na Loja Maçônica Duque de Caxias, que fica na avenida Coriolano Jucá, entre Tirandentes e General Rondon

 

 

  • Venho a público agradecer em nome de toda a família Lamarão pela homenagem póstuma, e pela solidariedade de todos que se prestaram a nós amparar nesse momento tão difícil.
    Meu pai sempre foi o meu herói.

  • Venho a público agradecer em nome de toda a família Lamarão pela homenagem e pela solidariedade de todos que nos ampararam neste momento difícil de dor e angústia.
    Meu pai sempre foi o meu herói.

    • Prezado Bruno. Aceite meus sinceros sentimentos por tão grande perda. Que Deus conforte imensamente a vc e Célia. Deixo o blog a disposição para passar informações aos muitos amigos do querido Lamarão

  • Estou consternado, desde ontem a noite, quando fui informado da grande perda para a família e a engenharia amapaense. Meu companheiro de adolescência e meu colega engenheiro, parceiro da especialização em Ambiental e, acima de tudo, meu amigo. Que Deus o tenha a seu lado para iluminar os amapaenses que amam a terra tucuju. Minhas condolências a família.

  • Lamarão era meu vizinho no Jardim Equatorial, simpático jamais entrava ou saia de sua residência sem cumpromentar a todos. Flamenguista enjoado nunca perdia a oportunidade de tirar uma onda com os vaiscaínos da rua. Lamentável perda!

  • é realmente uma grande perda, era um sujeito alegre e tranquilo, mesmo antes de sermos apresentados ele sempre fez questão de me comprimentar, trazia educação de berço.

  • O querido Lamarão também era companhia certa nos momentos de alegria e comemorações da cidade. Além de perder a sua grande capacidade de trabalho, sentiremos sua falta nos encontros da Confraria Tucuju, no Sambódromo, nos estádios. Que Deus conforte sua família neste momento de dor e saudade.

  • Gente que tristeza! Queremos deixar os nossos sentimentos a toda família. O Lamarão era muito amigo do meu marido Manoel Cordeiro.

  • Minhas sinceras condolências a família do Lamarão. Tive o prazer de conhecê-lo, trabalhei com ele, pela ADAP, na elaboração de projetos oriundos de emendas parlamentares, onde o mesmo desempenhou um brilhante trabalho como coordenador pela SEINF. Descanse em paz e que DEUS o tenha em um bom lugar, Que DEUS também, nesse momento conforte toda a sua família, que a luz do senhor possa guia-los nesse momento de dor.

  • Tive o prazer de trabalhar com este homem,em 2003, quando ali passei por aquela secretaria, neste momento nossos corações se entristecem , mais sabemos que o senhor nosso Deus ja possue um lugar guardado para este homem que em vida nos contribui com sua amizade e respeito.

  • Não acredito, ele viajou ontem a tarde comigo, de Macapá até Belém. Cumprimentei-o e desejei boa viagem (ele continuou no avião). Tô chocada!

  • Meus sentimentos a familia do nosso amigo Lamarão.
    Lembro-me muito na epoca do Bar da Tia Chica ao lado do Xodó do Albino,quando frequentemente eu,Lamarão,Telma e Zezinho Duarte,Hanne Capiberibe(in memorian),Romero Serrano,Abel Almeida,Herbert Picanço,Carlos Sergio e outros amigos nos reuniamos para batermos aquele papo molhado.SAUDADES

  • Estive em contato direto nos últimos dias com o Lamarão a respeito dos trabalhos que estaríamos desenvolvendo essa semana em Brasília e, posso registrar a felicidade dele pelas açoões que estava realizando na Secretaria de Estado da Infraestrutura. A equipe da SEINF, da ADAP e da SEAB estariam entregando inúmeros projetos de engenharia, que oportunizarão obras importantes para o Amapá. Lamarão fará falta como técnico de governo e como ativista cultural que foi. Uma grande perda!!!

  • Sinceras condolências. Que Deus conforte a Célia e familiares de nosso querido Lamarão…e mais um grande amapaense nos deixa.

  • Oi, Alcilene. Escrevi um texto em homenagem ao meu tio, baseado no livro Falar Tucuju, de sua autoria. Se interessar, posso enviar, Alcinea ira publicar no blog dela. Obrigado pela atenção.

  • Partiu para o reino celestial, meu nobre amigo João Lamarão, uma pessoa altamente responsável e séria dentro de as suas limitações profissionais. A minha convivência fraterna com o João Lamarão teve início desde os anos 70/80 de Colégio Amapaense e de entretenimentos até o domingo de 04 de março de 2012. Como diz o poeta, “morre o homem e fica a fama e na solidão de quem ama bate pra valer… . Sem dúvida nenhuma, o João Lamarão já está nos fazendo falta.

  • A Secretaria Extraordinária de Representação do Governo do Estado do Amapá em Brasília- SEAB se solidariza com o sofrimento da família, parentes e amigos pelo falecimento do servidor LAMARÃO, ocorrido no dia 06/03/2012, terça-feira, em Brasília. Ressaltamos que esta Secretaria empreendeu todos os esforços para a remoção do corpo para o Estado do Amapá.
    Lembremos que a nossa vida na terra é efêmera e regozijar-se no Senhor é o único conforto neste momento.

  • Meu “irmão”, meu querido amigo desde “gitinho”, presto minha homenagem com a frase que cumprimento você e sua família:
    “João Nobre Lamarão, NOBRE, até no nome”.

  • Tenho muito boas lembranças do João… Nossos encontros sempre recheados de muita alegria e carinho em conjunto com um irmão comum – Adjalma Lamarão. Nossos encontros na Av. Mãe Luzia não serão mais os mesmos… Ao Adjalma, A Célia, ao Bruno e família, o meu fraterno abraço! Jucicleber

  • “Com Lamarão iniciei no meio profissional aqui no Amapá e deixo minhas condolências a Família.

  • Ainda recentemente perdemos a nossa amiga Deusa, estilistas das mais competentes da querida escola Piratas da Batucada. Agora é o amigo João Lamarão (Diretor de Harmonia) que nos deixa para se integrar a essa grande “Escola de Samba Celestial”, que tem como presidente, nosso Bom Deus, grande arquiteto do Universo. Que tenhas o descanso eterno amigo.

  • Ainda é difícil de acreditar que pessoas tão queridas e presentes na vida pública de nossa cidade tenham partido de repente, fica as boas lembranças com quem com eles conviveram. Nossas condolências as famílias enlutadas e que Deus conforte nesse momento de dor, o coração de todos.

  • Para homenagear meu grande amigo Lamarão vou me valer de uma frase de escritora Lya Luft.

    “O João Lamarão é daqueles seres amados que se vão sem realmente partir”. Descanse em paz.

  • Lamarão era uma pessoa presente. Onde estivesse sua presença era logo notada, através de seu comentárioas, suas histórias e suas piadas. No bar do Xodó disputava com o Fernando Canto, com o Vicente Cruz e com o próprio Seu Albino quem contava mais histárias, algumas cabeludas, outras de mentira, mas era um sucesso. A banca do Dorimar vai ficar órfão de um assíduo frequentador, todos os domingos estava lá o Lamarão reunido com o Rugatto, Guilherme Jarbas, Tadeu Pelaes, Iraçu, Gaspar, Jocy Furtado, Careca e outros amigos, onde falamos de tudo e de todos. E na casa do Benony Lima, pai do saudoso Banana, e tio da célia, onde era presença constante nos dias de aniversários. que são muitos. Até logo amigo e irmão, dê lembranças a todos do lado de lá.(Sidou Miccione)

  • Sou gaúcho engenheiro civil, conheci Lamarão na Coordenação Nacional das Câmaras Especializadas de Engenharia Civil em 2005, foi um grande parceiro e colega sempre defendendo a Engenharia Civil por onde passava, ganhei dele um exemplar do “Falar Tucuju”. Ao Lamarão retribuo o grande abraço como a distância do Oiapoque ao Chuí, dedicatória que ele escreveu quando me presenteou com seu livro em 16 de março de 2007

  • Lamarão, meu amigo e irmão voçe estara agora junto ao Grande Arquiteto do Universo, vamos sentir muito sua falta, vou guardar seu livro que voçe me deu de presente em 2000 na reuniaõ da camara da engenharia civil em Macapa.TFA:.

  • Meu amigo e irmão vou sentir muito sua falta voçe sempre será um Grande Arquiteto do Universo.

  • Tive a honra em conhecer o Engenheiro Lamarão há mais ou menos 15 anos atrás no Clube de Engenharia no Araxá. E sempre me cumprimentava, dizia: tudo tranquilo? eu respondia: Sim Senhor, tudo tranquilo. Tenho certeza que se foi um grande homem, que sempre dedicou a sua vida, para o desenvolvimento e crescimento do Estado do Amapá.

  • MEU QUERIDO IRMÃOZINHO , SÓ AGORA TIVE A CORAGEM DE DIZER-TE O ESTAMOS SOFRENDO A TUA IDA PARA O PLANO SUPERIOR.FICA O NOSSO EMBATE E QUE SÓ TÚ ME ENTENDIA QUANDO ALGUÉM FALOU QUE : DUAS RETAS SE ENCONTRAM NO INFINITO , E EU REBATIA , SE DUAS RETAS SE ENCONTRAM NO INFINITO ENTÃO DOIS PONTOS QUE SE MARCAM NESTAS DUAS RETAS FORMA UM TRIÂNGULO. ERA QUANDO TÚ COM TUA SABEDORIA DIZIA : O JACOB ESTÁ CORRETO. E FICA A TUA LIÇÃO DE SABER DISCERNIR AS COISAS.

  • Conhecí o João Lamarão no ano de 1979, quando nos empregamos na PMM. Depois fomos estudar em Belém, e após, continuou a amizade. Foi e será na lembrança, uma honra ter desfrutado da amizade de pessoa da mais alta inteligência e capacidade técnica! Contribuiu com o seu valioso trabalho em vários setores da vida amapaense!! Vá em paz caro colega, e minhas condolências à família Lamarão.

  • Aos familiares de João Nobre Lamarão digo que morei em Macapá durante dez anos teve a oportunidade de conhecê-lo e juntos trabalhamos na Estacon. Em Belém ele cursou engenharia civil e eu Direito. Aqui permaneci exercendo a advocacia e hoje o cargo de Promotor de Justiça, enquanto ele retornou a Macapá para exercer a profissão que abraço. Neste final ano foi a Macapá na esperança de rever amigos e surpreso fiquei com a notícia da morte de Lamarão em março de 2012. Em que pese o tempo de corrido, faço o registro de lamento pela perda e atesto o caráter e a personalidade fortes de um homem determinado, estudioso, alegre e que certamente deixou lacuna no seio da família, à qual externo sentimentos.

  • Estudei com Lamarão na UFPa. Hoje fiquei sabendo que ele faleceu. Lembro dele como um rapaz divertido, sempre sorridente e muito educado.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *