O Governo do Amapá quer estabelecer mais um componente na matriz econômica do Estado para que as riquezas naturais comecem a dar retorno social e financeiro. Criada para expandir a base econômica amapaense a partir da preservação ou recuperação de ativos ambientais do estado, a proposta é denominada Programa Tesouro Verde, que já está em tramitação na Assembleia Legislativa do Amapá (Alap).

Baseado no Novo Código Florestal Brasileiro, o projeto de lei propõe a criação de créditos de natureza jurídica, vinculados às riquezas florestais do Estado. A exemplo dos já conhecidos créditos de carbonos, esses novos ativos ambientais poderão ser negociados no mercado financeiro.

Na análise do secretário de Estado da Fazenda, Josenildo Abrantes, além de incentivar a proteção das florestas amapaenses, a proposta estimula o fortalecimento financeiro de outro segmento econômico no Amapá, os créditos de ativos ambientais.