O Governo do Amapá ativou nesta terça-feira, 22, a Unidade de Policiamento Comunitário (UPC) do bairro Marabaixo III, na zona oeste de Macapá. A unidade está instalada provisoriamente nas dependências da Escola Estadual Nilton Balieiro Machado. Na ocasião, foi entregue uma viatura tipo picape, que somada a uma viatura convencional e três motocicletas, reforçará as ações preventivas e ostensivas na região. Um disque denúncia está disponível para a comunidade.

A UPC está sob a coordenação do 6º Batalhão (BPM) da Polícia Militar do Amapá (PM/AP). Conforme explicou o comandante do 6º BPM, tenente-coronel Cláudio Braga, a unidade contará com oficiais de área que ficarão, durante o dia, recebendo moradores, suas demandas, e dando os encaminhamentos necessários.

Os moradores dos Marabaixos I, II, III e Jardim América e adjacências contarão, além do número convencional 190, com uma ferramenta para contribuir ativamente com o trabalho da Polícia Militar na região. Um disque denúncia, via ligação ou whatsapp está ativo. O contato é (96) 984047185.

“A intenção é fazermos da UPC um instrumento para estarmos cada vez mais alinhados, comunidade e Polícia Militar, dialogando, se ajudando mutuamente no combate ao crime, para que tenhamos mais operações preventivas e ostensivas bem-sucedidas, mais sensação de segurança e menos violência”, destacou o tenente coronel Braga.

O comandante da Polícia Militar, coronel Rodolfo Pereira, destacou que com o novo veículo entregue durante a solenidade, será possível chegar a locais de difícil acesso, a exemplo do fim do bairro Jardim América, reforçando o trabalho já desenvolvido com a viatura convencional e três motocicletas já empregadas na área. A picape foi doada pela Secretaria Nacional de Segurança Pública (Senasp) para o Amapá.

 

“Um veículo robusto e alto possibilita mais agilidade e eficiência aos militares no atendimento de ocorrências em vias não asfaltadas, por exemplo. A UPC tem todo o aparato necessário para desenvolver um bom trabalho, e isso é fruto de muito empenho da equipe de governo”, considerou o comandante.

O secretário de Estado da Justiça e Segurança Pública (Sejusp), coronel Carlos Souza, que na ocasião representou o governador Waldez Góes, destacou o esforço para dar uma resposta imediata à comunidade da zona oeste no âmbito da Defesa Social. Essa medida faz parte do pacote de investimentos do governo na área, que contempla também a realização de concursos públicos e a execução de políticas de valorização de servidores.

Carlos Souza mencionou que a UPC foi implantada de forma provisória na escola Nilton Balieiro, porque um Complexo de Segurança Pública está sendo pensado para a região oeste da capital, fruto de contratos já assinados entre Governo do Amapá e Caixa Econômica Federal.  Os projetos, pontuou, estão prontos e devem ser licitados ainda este ano para implantação de um quartel da Polícia Militar, um quartel do Corpo de Bombeiros e um Centro Integrado de Operações e Segurança Pública (Ciosp) na zona oeste.

“Como sabemos que esse processo ainda demanda tempo, pensamos na UPC como uma resposta imediata e necessária para essa comunidade, fruto de muito esforço, diálogo, responsabilidade e compromisso que temos em manter e ampliar os investimentos em Segurança Pública para o bem de todos”, salientou o secretário Carlos Souza.

Para a acadêmica Débora da Silva, 38 anos, moradora há 10 anos do Marabaixo III, o momento é de comemoração e união de forças.

 

“Todos os moradores esperavam por esse momento. Estamos felizes e confiamos que o trabalho da Polícia Militar agora será intensificado. Estamos dispostos a ajudar, seja dialogando ou denunciando”, registrou Débora.

O presidente do Conselho de Segurança do Bairro Marabaixo, José Carlos Ferreira, também tem boas expectativas. “Será um novo tempo para o nosso bairro e para os bairros vizinhos. Ter a polícia mais próximo nos dá a garantia de que seguiremos bem assistidos, com crimes sendo inibidos, combatidos, e nos dando a esperança por dias melhores”, estimou José.

Parceria

A implantação da UPC do Marabaixo contou com o apoio da Secretaria de Estado da Educação (Seed), que cedeu um espaço da Escola Nilton Balieiro para a sua implantação.

A diretora da escola, Rita Gonçalves, falou da satisfação em ter na unidade escolar um efetivo da Polícia Militar. “Acreditamos que a união entre educação e segurança é essencial para que tenhamos bons resultados, sobretudo em ações preventivas, combate às drogas e à violência. Vamos contribuir com projetos, e de todas as formas com esse trabalho, e ajudando a tornar ainda mais próxima a relação comunidade escolar-polícia”, garantiu a diretora.

O pequeno Cauã Farias, 11 anos, é estudante do 6º ano. Ele acompanhou a solenidade e registrou sua admiração pelo trabalho da Polícia Militar, mencionando que sonha seguir a carreira no futuro.

 

“É muito importante o trabalho que a polícia faz, e estou feliz de saber que ela está cada vez mais próxima de nós. Tenho certeza que vai melhorar o nosso dia a dia dentro e fora da escola”, comemorou o estudante.

Eloisy Santos- Secom