Em entrevista ao programa Luis Melo, ontem, o senador Gilvan Borges disse que faltou educação política ao governador ao exonerar da Caesa um indicado do PMDB.

Gilvan diz que apesar de ter coordenado a campanha de WG em 2006, nenhum cargo foi lhe dado no governo, por conta do entendimento de ele seria concorrente nas próximas eleições, mas que ele compreendeu. Só quem ficou no governo foi José Roberto Galvão, que era próximo aos dois, Gilvan e Waldez, e mesmo assim foi exonerado.

O Zolhudo afirmou que não apóia Pedro Paulo Dias, para o governo e que pode apoiar Jorge Amanajás ou Lucas Barreto, nessa ordem, e descartou candidatura dele ao Governo.

Não acabei de ouvir a entrevista. Gilvam soltou um “o pessoal foram”, aí não deu mais.