Filme biográfico sobre Augusto Antunes será lançado dia 2 na Assembleia Legislativa

O presidente da Assembleia Legislativa do Amapá (ALAP), Júnior Favacho (PMDB) anunciou o lançamento do documentário “Dr. Antunes”, um filme biográfico sobre a vida de Augusto Trajano de Azevedo Antunes, o fundador da Icomi e de um verdadeiro império industrial chamado Grupo Caemi. Mais que isso, a ALAP aprovou a criação do Dia do Manganês e uma Comenda com o nome do empresário já falecido, como forma de homenagear as iniciativas em favor do desenvolvimento industrial do Amapá.

O lançamento será no dia 02.05.

Augusto Antunes
Augusto Antunes
  • Dr. Augusto ASntunes e varios de seus diretores, tive o prazer de conhecer e conviver em varias ocasiões, quando do meu tempo da empresa aerea Cruzeiro do Sul. Acho justissimo essa atrasada homenagem a esse brasileiro, que muito contribuio com o desenvolvimento de nosso Ampá.

  • Diante da carência de registros históricos sobre o Amapá, são bem vindas quaisquer iniciativas que valorizem a memória dos nossos pioneiros, instituições, figuras públicas de notável reconhecimento, e eventos que prestigiem nossa evolução social, cultural, política e econômica.
    É interessante a publicação do documentário sobre Augusto Antunes, empreendedor que participou de um processo de redimensionamento da economia amapaense. Válida a divulgação da biografia.
    Por outro lado, sobre a criação do Dia do Manganês e Comenda com o nome do fundador da ICOMI: devemos nos atentar para perceber se o posicionamento da Assembleia Legislativa, enquanto representante do povo, reflete o ideário da população. Festeja-se um passado de progresso como se as ações e políticas públicas de outrora tivessem legado um incontestável patrimônio, uma vantagem satisfatória, proporcional. É preciso analisar com cautela esse tipo de discurso.
    O “desenvolvimento” promovido pela ICOMI no Município de Serra do Navio e por onde passou a logística de produção e escoamento de minérios deixou um passivo ambiental significativo, não podendo ser prestigiado como glorioso prêmio para o povo amapaense.

    Ao criar o Dia do Manganês, parece que a Assembleia Legislativa do Amapá reconhece os méritos oriundos da exploração mineralógica, desconsiderando a irresponsabilidade pelos danos causados, bem como a atual realidade de Serra do Navio, que se tornou uma cidade fantasma, com abandono de maquinários e estruturas de grande porte. Uma realidade incompatível com a significativa produção de riqueza gerada por anos naquela área. Pensemos.

  • Esse filme retrata o inicio da exploração mineral no Estado de Amapá nos anos 50 quando tudo era muito difícil.
    Conhecer essa história é ganhar conhecimento de tempos remotos para a sociedade amapaense, eu ficaria muito agradecido se pudesse contar com a colaboração do historiador no sentido de me fornecer uma copia desse documentário para que eu pudesse estudar e conhecer a fundo essa história.

  • Como o próprio site já detectou, continuo aguardando sua resposta quanto a aquisição do documentário. Obrigada. Evelyn

  • O que esse Projeto trouxe de benefício para o Amapá? Olha como nosso Estado está hoje…… Esse Estado chamado Amapá era pra ser um dos mais desenvolvidos da Amazônia. Sua posição geográfica foi e ainda é estratégica e nem por isso se desenvolveu. Será que esse Projeto valeu apena para o Amapá?

Deixe uma resposta para Nathália Uchôa Cancelar resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *