As lembranças ainda estão bem vivas na memória de Tâmara Lima, mesmo após 35 anos desde que veio ao mesmo lugar quando tinha apenas nove anos idade. Ela e outros familiares foram prestigiar a entrega da nova instituição que mudaria de nome e homenagearia sua avó, passando de Conservatório Amapaense de Música para Escola de Música Walkíria Lima.

Nesta quinta-feira, 5, com a inauguração do novo prédio do Centro de Educação Profissional de Música Walkíria Lima – localizado na Rua Eliezer Levi, na área central de Macapá –, o desejo de Tâmara é que a instituição continue em constante evolução, atraindo cada vez mais estudantes e formando talentos musicais.

“O sentimento da nossa família é de orgulho e gratidão em ver o nome de Walkíria Lima como referência em educação musical no Amapá. Acredito que, agora, com esse novo prédio moderno e suntuoso, a escola vai se popularizar mais ainda, aumentar as vagas e formar grandes nomes musicais”, disse Tâmara Lima.

A paixão pela música está no sangue. Dos sete bisnetos de Walkíria, três tocam instrumentos musicais. E, recentemente, seguindo os passos da avó, Tâmara estuda musicalização e piano – instrumento lecionado por Walkíria durante toda sua vida.

“A gente sabe que a música muda a vida e enobrece a alma. Apesar do pouco tempo que nos foi permitido conviver com nossa avó, o carinho e amor intenso recebido ficou gravado em nossa memória”, registrou Lima.

Walkíria Lima

Walquíria Ferreira Lima é natural do estado Amazonas e sempre foi apaixonada pela música. Aos 10 anos, começou a tocar piano. Toda sua formação acadêmica em música foi realizada em sua cidade natal, Manaus. Casou-se com Isnard Brandão Lima e teve um único filho, Isnard Brandão Lima Filho. Ela possui três netos e sete bisnetos.

A convite do governador Janary Gentil Nunes, ela veio trabalhar no antigo Território Federal do Amapá. Chegou na década de 50, e lecionou canto orfeônico na Escola Barão do Rio Branco, Escola Industrial do Amapá, entre outras.

Com a criação do Conservatório Amapaense de Música, foi designada para ensinar piano e também se tornou a primeira professora de solfejo do Amapá. Walquíria permaneceu no Conservatório até seu desenlace, em 1979. Nunca chegou a se aposentar. Em 1983, foi homenageada na instituição, que passou a se chamar Escola de Música Walkíria Lima. Em 2007, o centro mudou novamente de nome para Centro de Educação Profissional de Música Walkíria Lima.

A pianista também foi uma das fundadoras da Academia de Letras do Amapá e leva a cadeira 40 da academia.

Fotos: SECOM