Familiares de Walkíria Lima se orgulham com evolução de centro que leva o nome da pianista

As lembranças ainda estão bem vivas na memória de Tâmara Lima, mesmo após 35 anos desde que veio ao mesmo lugar quando tinha apenas nove anos idade. Ela e outros familiares foram prestigiar a entrega da nova instituição que mudaria de nome e homenagearia sua avó, passando de Conservatório Amapaense de Música para Escola de Música Walkíria Lima.

Nesta quinta-feira, 5, com a inauguração do novo prédio do Centro de Educação Profissional de Música Walkíria Lima – localizado na Rua Eliezer Levi, na área central de Macapá –, o desejo de Tâmara é que a instituição continue em constante evolução, atraindo cada vez mais estudantes e formando talentos musicais.

“O sentimento da nossa família é de orgulho e gratidão em ver o nome de Walkíria Lima como referência em educação musical no Amapá. Acredito que, agora, com esse novo prédio moderno e suntuoso, a escola vai se popularizar mais ainda, aumentar as vagas e formar grandes nomes musicais”, disse Tâmara Lima.

A paixão pela música está no sangue. Dos sete bisnetos de Walkíria, três tocam instrumentos musicais. E, recentemente, seguindo os passos da avó, Tâmara estuda musicalização e piano – instrumento lecionado por Walkíria durante toda sua vida.

“A gente sabe que a música muda a vida e enobrece a alma. Apesar do pouco tempo que nos foi permitido conviver com nossa avó, o carinho e amor intenso recebido ficou gravado em nossa memória”, registrou Lima.

Walkíria Lima

Walquíria Ferreira Lima é natural do estado Amazonas e sempre foi apaixonada pela música. Aos 10 anos, começou a tocar piano. Toda sua formação acadêmica em música foi realizada em sua cidade natal, Manaus. Casou-se com Isnard Brandão Lima e teve um único filho, Isnard Brandão Lima Filho. Ela possui três netos e sete bisnetos.

A convite do governador Janary Gentil Nunes, ela veio trabalhar no antigo Território Federal do Amapá. Chegou na década de 50, e lecionou canto orfeônico na Escola Barão do Rio Branco, Escola Industrial do Amapá, entre outras.

Com a criação do Conservatório Amapaense de Música, foi designada para ensinar piano e também se tornou a primeira professora de solfejo do Amapá. Walquíria permaneceu no Conservatório até seu desenlace, em 1979. Nunca chegou a se aposentar. Em 1983, foi homenageada na instituição, que passou a se chamar Escola de Música Walkíria Lima. Em 2007, o centro mudou novamente de nome para Centro de Educação Profissional de Música Walkíria Lima.

A pianista também foi uma das fundadoras da Academia de Letras do Amapá e leva a cadeira 40 da academia.

Fotos: SECOM

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *