Faleceu a professora Lucimar Brabo Alves

Ontem, 13 de setembro, dia do Aniversário do Amapá, faleceu em Belém aos 81 anos, a professora Lucimar Brabo Alves, uma das grandes profissionais que o Amapá teve e que muito contribuiu com o desenvolvimento do Território e de seus filhos, como educadora e como administradora, na gestão pública.

Elegante, doce e inteligente, tenho lindas lembranças da professora Lucimar, que era amiga e comadre de minha mãe, professora Delzuite Cavalcante.

O blog registra com pesar essa grande perda.

  • Como diria Cassilda Barreto, “uma madeira de lei do Amapá” nos deixa neste plano. externo aos seus familiares votos de pesar pela transição dessa grande educadora!

  • Me associo à dor que neste momento sente seus familiares “todos meus queridos amigos” e rogo ao Deus Onipotente que lhe forneça forças suficientes para suportar este momento difícil. Segure nas mãos do Senhor e vá Profª. Lucimar Brabo Alves, na certeza que cumpriu muito bem sua passagem por esta Terra: Agora a Senhora é só de Deus. Bjs. Matta e Família.

  • Em nome de seus filhos ficamos muito gratos Alcilene, pelo registro. Nossos pais como pioneiros se foram mas construiram uma grande história. Além de deixarem gerações que continuam a fazer a grandiosidade deste estado.

    • Brabo, a vc e à Alda, votos de condolências por esse momento difícil e que vcs encontrem consolo e conforto necessários para superar a perda. Votos extensivos a todos seus familiares.

      Aderaldo Gazel

  • Que Nossa Senhora acolha em seus braços a nossa querida professora Lucimar, as nossas amigas Alda e Carmen que Nosso Pai Eterno dê consolo e conforto pela perda de sua mãezinha. Beijos Vera e Reinaldo.

  • Recebi a notícia com tristeza, eis que a Profa. Lucimar Brabo, além de minha professora no Alexandre V. Tavares, foi nossa vizinha por longos anos. Deve agora ter-se unido ao saudoso Caboco Alves, seu amado esposo, também já falecido, ex-jogador de futebol. A seus filhos e netos, que Deus os conforte na dor da separação.

    • Caro amigo Adelmo,
      Agradecemos de coração a msg e a lembrança de tempos maravilhosos que vivemos em nossa infância e juventude juntamente com nossos pais e todos os nossos vizinhos.
      Um abraço.

  • Descanse em paz, querida Mestra! Momentos inesqueciveis passados nas salas de aula do Sta Bartolomea Capitanio nos anos 60 quando a professora Lucimar nos transmitia as aulas de Geografia. Ainda a vejo escrevendo na lousa e ensinando suas alunas com aquela paz que so os grandes possuem. Abraços carinhosos e de conforto em seus filhos. Em especial, à querida colega Alda.

  • Caros,
    Ainda tenho na lembrança os momentos de convívio com a querida Professora Lucimar com a nossa familia, em especial com minha mãe.
    Que Deus lhes dê forças para superar este momento díficil para todos.Meus sinceros votos de pesar.
    Abs
    Alcione

  • Ao amigo Sérgio Brabo e família minhas condolências pela perda da sua matriarca.

    Que Deus dê força e o conforto necessários nessa hora de dor e sentimentos.

  • Professora Lucimar foi pioneira do magistério amapaense e uma grande mestra. Estará sempre no coração e na lembrança de todos que tiveram o privilégio de conhecê-la e de tê-la como professora.
    Ela e minha mãe, professora Delzuite Cavalcante, eram comadres. Lembro das tardes de domingo em que elas se visitavam. E visita, naquele tempo, tinha que ser recebida com bolo caseiro e café fresquinho.
    Enquanto as duas conversavam, nós – os filhos – brincávamos.
    Minhas condolências à família, aos seus filhos nossos amigos de infância.
    Ao seu neto Fábio Renato deixo um beijo especial.

  • Como diria a escritora Lya Luft: A professora Lucimar é “daqueles seres amados que se vão sem realmente partir”. Como escreveu o Adelmo, a gente conviveu naquele espaço do bairro do Trem e só temos boas lembranças da professora Lucimar. Que ela descanse em paz e que Deus conforte o Raimundo, o Sergio e os demais da família.

  • Fui aluna da Profa. Lucimar no Ginásio Feminino de Macapá, e colega de seus filhos Paulo Sérgio ( na escola Coaracy Nunes) e do Nonato ( na Embrapa). Em homenagtem a esta grande mestra deixo registrado minha melhor lembrança da Profa. Lucimar: do dia em que, numa festa de Dia do Estudante, ela teatralizou uma aula para nos ensinar a conjugar o verbo Querer, e uma frase virou bordão: “Eu quisera ser Ruy Barbosa!”.

  • Me solidarizo a todos pela perda irreparável. Aprendi com a Professora Lucimar Brabo Alves desde quando foi Diretora do COLÉGIO COARACY NUNES. Cheguei a frequentar sua casa por ter estudado com o seu filho Mauro Henrique, ter curtido a infância e a adolescência com Mauro, Paulinho e demais filhos. A maioria hoje doutores, servindo ao Amapá como ela. Tenho a honra de dizer que fui seu Datilógrafo na Secretaria de Administração do Ex-Território, meu primeiro emprego público, ao tempo de Augusto Monte de Almeida, Cristina Homobono, Adalto Góes, Edmilson Sepeda, Elenilza de Nazaré, José Otávio Picanço, Terezinha Almeida e muitos outros. Aprendi muito. Daí a razão e o incentivo para fazer Administração, meu primeiro curso superior. Era ADMINISTRADORA, com capacidade e competência inigualável. O CRA-AP deve render tributo a essa grande mulher, uma pioneira da Administração no Amapá. Como EDUCADORA, os comentários já postados indicam a sua grandiosa contribuição na educação de muitos. Que DEUS a Abençoe, eternamente.

  • A todos do blog, os nossos muito obrigada em nome de toda a familia, é realmente uma grande perda, sentimos muito a partida da minha avó, mas temos a certeza de que ela partiu em paz, com a consciencia tranquila de missao cumprida e de que sua luta, sua batalha nesta vida deixou muitas vitorias por esta terra, e isto esta estampado no rosto de cada um de seus filhos e de nós netos, e ainda de seus bisnetinhos que tiveram a honra de conhece-la. Obrigada a todos!
    Márcia Danieli – neta

  • Em nome da família Brabo, aqui em Brasília, não posso deixar de registrar nossas condolências. Meu Pai, Manoel Bastos Brabo, passou triste por não poder dar o último adeus à querida irmã mas orou bastante em benefício de sua partida. Eu, como sobrinho, deixo uma frase que um grande mentor sempre nos diz nos momentos de fraqueza “Quem está perto da fogueira, se aquece melhor…” Tia, estarás perto do criador, chama da vida eterna, aqueça seu espírito com o fogo Divino. Com Deus sempre!!!

  • Minha avó querida, em breve reencontrar-nos-emos. Tenho certeza que a senhora já voltou à ativa em prol dos trabalhos dignificantes da humanidade. Há 10 dias que o plano espiritual a acolheu de volta, de onde a senhora partira para cumprir uma belíssima missão aqui na Terra. Um beijo Vovó. Fique com Deus.

  • PARA TODOS DA FAMILIA BRABO ALVES.
    CONHECER VOCÊS, FOI UM PRAZER, PENA QUE FOI EM MOMENTO TRISTE,MAS FICO MUITO FELIZ EM TER CONHECIDO A TIA LUCIMAR, ELA FOI E SEMPRE SERA UMA GRANDE MULHER,BJOS E FIQUEM TODOS COM DEUS.
    DENISE

  • Eu gostaria de saber se somos parentes pois também tenho o sobre nome de Brabo e não conheço a maioria dos meus parentes. Meus pêsames pela perda.

Deixe uma resposta para Raimundo Brabo Cancelar resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *