“Não sou mais uma pessoa, sou uma ideia” – Lula em comício antes da sua prisão.

*Teles Jr – Mestre em Economia

 

A data folha divulgou no domingo (15/04/2018) pesquisa de intenção de votos para Presidente da República em 2018, realizada após a prisão do Ex – Presidente Lula. Muitos se assustaram com os resultados ou ficaram desconfiados em virtude do percentual ainda elevado do candidato. Na disciplina Estatística Aplicada à Economia costumo utilizar as pesquisas de opinião para ilustrar um exemplo simples: O Brasil é um país plural e isso faz com que a percepção de mundo e os valores morais sejam diferentes em cada extrato da sociedade.

Os resultados ainda favoráveis a Lula não foram evidenciados nas matérias jornalísticas e, o próprio PT preferiu criticar o instituto a avaliar os pontos positivos da pesquisa. Em resumo: O candidato manteve o percentual em todos os cenários de 2º turno contra os candidatos Alkimin, Marina e Bolsonaro (os únicos cenários comparáveis); A queda de 37% para 31% no cenário principal fica prejudicada pela diferença dos candidatos incluídos; O percentual de pessoas que “com certeza votariam” em um candidato apoiado por Lula foi de 30%; A migração de votos no cenário sem Lula elevou em mais de 10% o nível de branco/nulos; 48% disseram que Lula deveria disputar a eleição; 40% disseram que sua prisão foi injusta (Percentual elevado considerando a exposição negativa na mídia) e; Bolsonaro, o principal contraponto de Lula, manteve-se estático em todos os cenários, indicativo de que chegou no teto.

Sabe-se que Lula não irá disputar a eleição devido a Lei da Ficha Limpa e os eleitores começam a perceber esse cenário. Esse indicador se elevou de 43% em janeiro para 62%. A questão é saber até quando Lula manterá sua relevância política?

A hipótese mais aceita entre economistas é a de que sua popularidade irá diminuir na medida em que o crescimento da economia se torna mais evidente para população, nesse caso, a expectativa é que sejam gerados 2,5 milhões de empregos em 2018, mas isso é tema para outra postagem.

Uma dica importante: Não acredite que a opinião pública é refletida no perfil do seu instagram, nos seus grupos de whatsapp ou no Facebook – É no silencio das mentes que as pessoas julgam os fatos.