Já aprovou em duas instâncias a aliança com o PSB, e vai pra batalha final no Encontro Estadual no domingo,  06.

Penso que a decisão tomada pela maioria, os grupos ligados ao deputado Joel Banha e ao prefeito Antonio Nogueira, de Santana, que venceu o grupo liderado pela deputada Dalva Figueredo, será mantida.

Joel e Nogueira estavam insatisfeitos com o governo da “harmonia”, a quem sempre deram sustentação política e nunca levantaram a voz contra nada. Joel queria mais espaço no governo e Nogueira, com razão, estava insatisfeito pela falta de apoio do governo do estado ao município de Santana. (Mas favor não confundir nada disso com ideologia nem campo de esquerda, isso é outra coisa).

Camilo Capiberibe, que analisava viabilidade de candidatura com o PSB, foi habilidoso na conquista dessa ala do PT. E teve apoio de outros petistas, que sempre defenderam aliança com o PSB.

Já o governador Pedro Paulo, não teve visão da dinâmica interna do PT, e achou que Dalva mandava absoluta.

Governo e Governistas, até o momento, levam a pior. E ainda estão com aquela cara de “ComoAssimBial”.

E não adianta trabalharem com possibilidade de intervenção nacional do PT aqui. Não há clima pra isso. O PSB é da base de Lula.

Mais

Sacramentada a coligação entre os dois partidos, o PSB ganha tempo de televisão, uma legenda forte, que é o PT, e para alguns, o palanque de Dilma, que não acho que tenha tanta influência em disputa local (Dalva teve quase todos os ministros do Lula em sua campanha à Prefeitura), sai do isolamento de algumas eleições e aumenta a militância nas ruas na campanha.

Carrega junto o desgaste político do PT Amapá e o desgaste das gestões comandadas pelo PT no Governo. A CEA falida, aparelhada e instrumentalizada politicamente pelo PT em detrimento a uma gestão eficiente desse patrimônio do povo do Amapá. O Rurap e a Afap, que viraram cabides de petistas sem resultados efetivos em serviços prestados a população. E ainda a desgastada administração de Nogueira, em Santana, o segundo maior colégio eleitoral do estado e o desgaste do próprio.

Joel Banha, que foi o pêndulo para aprovar a aliança com o PSB, ganha uma boa coligação proporcional pra disputar a reeleição, e por ter sido decisivo, ganhou promessa de apoio integral do PSB a sua reeleição. E ainda pode indicar a vice de Camilo. Dora Nascimento, que é chefe de gabinete de Joel, é uma das inscritas para a disputa da vaga de vice, com grandes chances de ser a escolhida.

Nogueira, Camilo sendo eleito, pode contar com o apoio do PSB para Santana, e já recebe apoio via emendas parlamentares da deputada Janete Capiberibe.

Os petistas governistas ganham um candidato, hoje, em melhores condições políticas que o governador Pedro Paulo, e podem vislumbrar permanecer no poder estadual, onde estão desde 1995, quase que ininterruptamente. Mas podem perder os tão amados cargos e a máquina de campanha.

Os petistas que sempre defenderam a aliança com o PSB festejam a virada à esquerda.

E Dalva?

A deputada Dalva Figueredo, sempre simpática e falante, e cheia de café no bule, sumiu. Não acusou a derrota interna publicamente e não dá sinais externos de suas estratégias.

Mas pode sair ganhando em qualquer posição. E depois eu explico os motivos. Por que isso é só um post que ficou grande, não um artigo de analista político.

E atenção, raivosos e patrulheiros de plantão!

Isso é a minha opinião. Pode estar tudo errado o que escrevi.

Concordando ou discordando pode colocar, sua opinião, de preferência assinada, mas mantendo o altissimo nível dos leitores deste bombado blog.

stones