Sem projeto e sem estudo de impacto ambiental, o prefeito de Laranjal do Jari, Barbudo Sarraf, junto com o senador Gilvan Borges, estariam aterrando uma parte do Rio Jari e uma área de ressaca.

Foram flagrados pelo Ministério Público Estadual, através dos promotores Vinicius Carvalho e Ricardo Crispino, do Laranjal do Jari, que já entraram com ação cautelar na justiça.

Enquanto o justiça estadual não dá a liminar, pedida ontem, continuam aterrando o rio e a ressaca, e mobilizando a população contra o cumprimento da lei.

Não é um absurdo?

A Policia Federal e o Ministério Público Federal já estão em Laranjal do Jari.

Outro crime ambiental estaria sendo cometido, além do aterramento do rio e da ressaca, com a retirada de areia sem a devida licença ambiental.

No link artigos, na linha de cima do blog, veja a Ação Cautelar do Promotor Vinicius Carvalho

No blog da jornalista Alcinéa Cavalcante

Gente, deu a louca nos políticos amapaenses.

Dia desses o deputado federal Antônio Feijão (PSDB-AP) lançou uma proposta para aterrar 300 metros do rio Amazonas.

Na madrugada de ontem, sexta-feira, o Ministério Público Estadual flagrou caçambeiros aterrando o rio Jari.

E quem estava lá fazendo parte da mobilização para aterrar o rio? Quem? Quem?

O senador Gilvam Borges (PMDB-AP) e o prefeito e vereadores do município de Laranjal do Jari.