A comunidade de Mazagão Velho, através da Associação Cultural da Festa de São Tiago (ACFST), iniciou uma campanha para levantar recursos para reforma e equipamento do prédio onde irá funcionar o Centro Histórico e Cultural daquela vila. O prefeito Dudão repassou oficialmente a concessão do espaço à entidade pelo período de cinco anos – o documento data de 10 de janeiro, mas foi entregue no último dia 4 de março.

Agora, o empenho é para levantar os recursos financeiros para as obras, já que o prédio está deteriorado e precisa de diversos reparos. No dia 8 de abril (domingo) será realizado o primeiro evento nesse sentido, um bingo beneficente que acontecerá no Barraco de São Tiago. Os brindes para sorteio serão doados por moradores e empresários da região; estão ainda previstas outras campanhas, inclusive pelas redes virtuais.

O projeto com os devidos orçamentos serão encaminhados ao poder público em diversas esferas, além de grupos empresariais de Macapá e outras entidades. Estão previstas reformas estruturais (forro e piso), pintura, troca de esquadrias, reparos elétricos e hidráulicos e aquisição de móveis.

Uma vez pronto, o espaço vai brigar uma exposição permanente de materiais como fotos, roupas e outros objetos que retratam o extenso calendário de festas religiosas, tradicionais e culturais da região, além da história da colonização do lugar – uma colônia portuguesa no Marrocos transferida para a Amazônia no século 18.

“É muito contraditório Mazagão Velho ser considerado um grande celeiro cultural e não ter um espaço adequado para mostrar tudo isso ao visitante, principalmente fora dos período de realização das festividades. Além desse papel, o centro também irá reunir as produções de artistas e artesãos locais, que hoje trabalham de maneira isolada”, informa o jornalista Gabriel Penha, relações públicas da ACFST e responsável pelo projeto do museu.

Gabriel Penha