Capiberibe cobra conclusão de inquérito sobre desvios de recursos no Amapá

Foto: Agência Senado

O senador João Capiberibe (PSB-AP) cobrou, na Tribuna do Senado, nesta quarta-feira (29) a conclusão do inquérito decorrente da operação Mãos Limpas, da Polícia Federal, que investigou desvio de recursos públicos destinados à Educação, no Amapá.

 

Desencadeada em setembro de 2010, a operação prendeu mais de 20 pessoas, entre elas o então governador do estado Pedro Paulo Dias e o ex-governador Waldez Góes, secretários de governo, secretários municipais, conselheiros do Tribunal de Contas do Estado, empresários e servidores públicos. Capiberibe informou que encaminhou ao procurador geral da República, Roberto Gurgel, pedido de audiência para tratar do caso.

 

A operação Mãos Limpas identificou um esquema de desvio das verbas do Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica e de Valorização dos Profissionais da Educação (Fundeb) e do Fundo de Manutenção e Desenvolvimento do Ensino Fundamental e de Valorização do Magistério (Fundef) que deveriam ter sido aplicadas no Amapá. O prejuízo estimado é de R$ 1 bilhão.

 

João Capiberibe alertou que, quase um ano e meio depois da operação, o inquérito ainda não foi concluído, ninguém foi indiciado e nenhuma denúncia foi apresentada à Justiça. Enfatizando que a impunidade contribui para “desacreditar ainda mais os valroes republicanos e democráticos”, o senador defendeu que a Procuradoria Geral da República e o Superior Tribunal de Justiça prestem, com urgência, contas da operação à sociedade brasileira.

 

– A demora, além de frustrar as aspirações da maioria dos cidadãos e das cidadãs, cria dificuldades para atuação do governo estadual em virtude de restrições impostas a diversos órgãos estaduais, particularmente no que diz respeito a obtenção de documentos apreendidos necessários à gestão – explicou o senador.

 

Capiberibe explicou que, na operação, a PF cumpriu mandados de busca e apreensão em gabinetes da Assembleia Legislativa, em repartições públicas, empresas e residências, recolhendo centenas de documentos que comprovariam a existência de contratos de obras e serviços irregulares e que beneficiavam empresas previamente selecionadas. Estes documentos seguem apreendidos, sem que o novo governo do estado a eles tenha acesso, dificultando a ação das Secretarias. (Assessoria Senador Capiberibe)

 

  • O senador capiberibe esta fazendo mais do que representar o estado do amapa nos dar orgulho de telo ao senado federal capi e o cara ja chegou botando quente quem viver vera força capi o amapa esta lhe acompanhnado nessa trincheira de luta em prol do povo amapaense

    • Égua, não, olha, égua não…Fala Sério!!
      Que que é isso????
      Hei amigo! Acorda, os capiberibes fizeram em você uma lavagem cerebral,caramba, provavelmente você deve ser classe I…daí, complete como quiseres. A Federal esta provando que entre estes politicos amapaenses, não escapa hum, pra contar estórias, isso mesmo estórias…acorda, ame você e sua terra, não estes pilantras de plantão.
      Desculpa, mas, falo mesmo.

  • É Senador! querendo desviar os olofotes dos escândalos e apreensões de documentos com suspeita de corrupção em órgãos do estado que estão sendo realizadas pela Polícia Federal e MPF na gestão de seu fulho? O povo está esperto!

  • Senador? pede, também agilidade na conclusão na analise, da torre de doc apreendido na Seinf. Pede Capi, pede..?

  • É bom solicitar informações a respeito do avião que chegou abastecido de dinheiro na campanha eleitoral passada, e quem deu um tiro no eleitor? Quanto tempo e ninguém fala nada, porque?

  • É engraçado como o povo do amapá é cego pelos capiberibes e pelos goés, temos que tirar essas duas familias do poder, não aguento mais ver o amapá parado no tempo vegetando, vamos abrir o olho e bota a cabeça pra funcionar e da um basta nessas pessoas que colocaram o amapá no burraco, fora capi, fora waldez, o amapá é muito lindo e não precisa de vocês…

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *