* Helenilson Fonseca é professor de francês, viajante e escreve sobre turismo e viagens 


A capital dos países baixos é uma aula de cidadania e preservação. Amsterdã está na moda de novo, é uma das melhores cidades para se viver no mundo, e para passear então?
Muita coisa dá pra se fazer à pé, existem atrações próximas, os canais e os barcos/ residência já são uma atração. Eu gosto da arquitetura, da infinidade de restaurantes, da facilidade no transporte público e principalmente do bom uso das liberdades. A cidade é liberal mas não há anarquia, ao contrário, as pessoas se respeitam.
Eu nunca consegui ir em várias atrações no mesmo dia,são tantas…


O museu de cera Madame Tussaud fica bem perto da praça e museu Van Gogh e da Igreja velha, de onde também se pode ir andando até a casa de Anne Franck ( um lugar singelo e muito frequentado).
O palácio real
O clube Ajax
A fábrica/museu Heineken
O distrito da luz vermelha ( imperdível!!!, onde as mulheres estão na vitrine )
No jardim botânico de Amsterdã está o pé de café de onde se tirou o galho que o Luis XIV enviou à América central ( Martinica) e que deu origem à todos os outros pés de café dessas bandas, incrível não?
Fiz muita coisa caminhando e quase nem precisei de taxi.
Quero voltar lá mais dez vezes!
Preços normais e até bem abaixo do que é praticado em outros países maiores como França e Itália .
Entrada no museu de cêra: 24 euros
Uma pizza para 2: 18 euros .
A companhia aérea local é a KLM e tem uma coroa como símbolo, daí você já sabe como será tratado no vôo.