Amapá perde o grande artista plástico Pantaleão

É com pesar que a Secretaria de Estado da Cultura (Secult) comunica o falecimento do artista plástico Raimundo Pantaleão Gurjão. Pantaleão sofreu um infarto fulminante na tarde desta segunda-feira, 26, quando passeava na orla do Araxá, próximo ao prédio onde funcionou a rádio 102 FM. Ele era funcionário da Escola de Artes R. Peixe, vinculada à Secult, há mais de 10 anos. Seu corpo está sendo velado em sua galeria de arte, espaço que seria inaugurado esta semana, localizada na 11ª Avenida do Congós.

 

A arte de Pantaleão era autêntica e genuína, trabalhada pelas mãos de um artista que aliava conhecimento autodidata com técnica, adquirida no curso de Artes Visuais, na Universidade Federal do Amapá (Unifap).

 

Caboclo do município do Amapá, criado na capital amapaense desde os 4 anos de idade, Raimundo Pantaleão Gurjão, ou simplesmente “Pantaleão”, foi uma das principais referências nas artes plásticas do Estado. Artista autodidata, adorava dizer que suas obras eram a razão de sua vida. Sempre se revelou um amante das coisas do estado do Amapá e suas obras são a prova desse amor.

 

Dizia ele: “Não abro mão do amor que tenho pela minha terra. O meu berço, a minha origem vem da terra e esse sentimento transcedo para minhas obras”.

 

Sua mais recente coleção foi exposta na 48ª Expofeira do Amapá. Uma composição que envolveu pigmentação com areia, terra, argila e minerais, como o manganês, deu forma a quadros decorativos, esculturas, telas e souvenir que retratam o modo de vida das louceiras do Maruanum, das benzedeiras do Amapá, dos carregadores de açaí, a revoada dos uirapurus, as marcas históricas do Cunani Maracá, as dançarinas de Marabaixo e Batuque, os ribeirinhos, o dia a dia da comunidade do Curiáu. (Assessoria SECULT)

Nota do Blog: A arte do Amapá perde muito com a partida do talentosíssimo Pantaleão. É dele uma das coleções de arte que mais gosto: as esculturas das louceiras do Maruanum.

Panta! Guardarei minha escultura da “Louceira” com todo carinho.

 

  • Fiquei chocado ao saber que um grande amigo partiu quando acessei esse blog. Conheci Pantaleão ainda criança. Estudamos juntos na primeira série em 1976, na Escola Zolito Nunes, no bairro do Beirol. Depois de muitos anos, em 1992, trabalhamos juntos aqui na Secretaria de Estado do Planejamento, onde tive a oportunidade de conhecer o seu talento, o que ele mais amava, A ARTE. Ao saudoso amigo Pantaleão, deixo aqui o meu aplauso, que por muitos anos têm dedicado a sua vida a famíla, aos amigos e principalmente pela arte amapaense. valeu amigão.

  • Sentiremos falta do amigo Pantaleão que sabia com maestria levar a seus quadros e esculturas todo o brilho e beleza da vida simples do caboclo do Amapá, como ele mesmo se dizia ser. Assim o vejo, com a riqueza que era e continuará no mundo espiritual.

  • Talvez agora o Amapá – como de praxes – valorize a arte de Pantaleão. Tal como o artista maranhense João do Vale, Pantaleão também foi pedreiro e carpinteiro e levantou muitas casas, principalmente no Bairro do Beirol. Sempre quando conversávamos dizia que sua vida era uma tese por tudo que vivera. Que Dona Rosalina, sua mãe, encontre forças nesse momento tão triste.

  • MEU QUERIDO AMAPA,ONTEM VOCES PERDERAM A MAIS ALTE EXPRESSAO DA ARTE PURA DESTA TERRA PANTALEAO QUE TIVE O GRANDE PRAZER DE CONHECER QUANDO AI ESTIVE DANDO DURSO DE PAPELARTESANAL,PANTA FOI MEU ALUNO E LOGO VI NOS PRIMEIROS TRABALHOS SUA GENIALIDADE,SUA PUREZA DE SENTIMENTOS SEU FOGO CRIADOR E SEU AMOR POR SUA TERRA,PANTA ESTEVE COMIGO EM SAO PAULO,VENDEU OBRAS PARA COLECIONADORES FAMOSOS DAQUI QUE LOGO VIRAM NELE UM EXPOENTE DA VERDADEIRA ARTE QUE BROTA DE UMA INSPIRACAO DIVINA,PANTA SEI QUE AGORA VOCE TERA RESPOSTA PARA TODAS SUAS DUVIDAS E ONDE ESTA CONTINUARA SUA RICA OBRA,POIS VOCE SERA SEMPRE ESSE MOTO CONTINUO CRIADOR,OBRIGADA PANTA POR EU TER TIDO A FELICIDADE DE TER TE CONHECIDO E SER SUA AMIGA,DIVA ELENA BUSS,AGORA VOCE SE ETERNIZOU.

    • Sem dúvidas meu pai foi um grande homem, não somente para suas filhas e sua esposa mas, para o estado do Amapá.
      Com seu traços marcantes e autênticos, PANTALEÃO dedicou seu trabalho para explicitar quão bela é a nossa cultura amapaense.

  • A última vez que vi Pantaleão foi na Secult. Ele fazia um painel com paisagens amazônicas. “É uma espécie de visão além da cerca”, me disse de forma singela quando perguntei porque uma cerca de arame farpado estava em primeiro plano na sua pintura. E emendou: “É um grito pela proteção da Amazônia”. Levei um susto ao saber da notícia. Panta era um caboclo carmarada, de sorriso franco, de conversa mansa, um artista impecável na sua arte. Vai, Panta, vai pintar com Deus uma paisagem melhor para o ano de 2012.

  • Notícia triste. Trabalhei em um setor que tinha um quadro do Pantaleão. Contemplava diariamente sua obra. Tive a oportunidade de relatar isso a ele. #triste

  • Lene, que noticia triste, Pantaleão trabalhou aqui na SEPLAN, colega muito querido de todos, sua obra esta registrada em vários quadros existentes nesta Secretaria.Fique em paz amigo.

  • Panta querido amigo,que você esteja na paz do Senhor.Meu profundo pesar, mas no céu você vai brilhar com esse carinho e talento seu espírito vai colorir onde você estiver.Descanse em paz!

  • É uma grande perda para a cultura amapaense, pois Pantaleão era um artista muito talentoso, sem igual. Na Secretaria de Planejamento, onde trabalhou e fez muitos amigos, Pantaleão deixou um legado de várias telas retratando a natureza amazônica.
    Agora ele vai fazer muitos trabalhos bonitos na casa do Senhor!

  • ELE SE FOI!

    ELE SE FOI!

    PANTA MEU QUERIDO AMIGO.
    VOCÊ SE FOI PARA OUTRO PLANO.
    EU SUSPIREI COM DOR NO CORAÇÃO.

    UM ARTISTA MARAVILHOSO
    DEIXA UM LEGADO DE ARTE
    PARA SER ADMIRADO.
    QUE O SENHOR TE RECEBA
    COM A PAZ EM SUA NOVA MORADA.

    YARA PICARDO

  • Nossa, estou fora de Macapá e para espanto soube agora dessa noticia e ficamos abalados, pois o último contato com Pantaleão foi em uma missa na casa de minha tia e sua sogra, pessoa tranquila e brincalhona, saudades!!!

  • Panta, foi com grande tristeza que recebi a noticia em que você nos deixou, mas com grande alegria pois chegaste a morada eterna e sei que lá estará ao lado do Pai, e que tudo que deixaste para nós é tão grandioso que sempre lembraremos de você como aquele que sempre tinha o sublime em suas mãos.
    Seus uirapurus irão sempre trazer de volta as lembranças de nossa eterna amizade.

    FIQUE SEMPRE COM DEUS! E SEJA SEMPRE ETERNIZADO EM SUAS OBRAS!

  • Muito triste, realmente! A partida de Pantaleão foi uma grande perda para a arte amapaense.
    A coleção de quadros retratando o Curiaú na sala de nossa casa ficará para posteridade.
    Força para a família e que Pantaleão continue fazendo maravilhas no Plano Espiritual. Assim Seja!

  • Apenas acrescentado uma informação. O Panta não caminhava pela orla como informado e sim, recolhia na área atrás do prédio da Antena 1, como costumeiramente – e ecologicamente correto fazia -, matéria prima do grande rio, leia-se, tronco de árvores, cipós, entre outros elementos, para o seu trabalho, quando sentiu-se mal e, apesar de socorrido por pessoas que banhavam-se no local, veio a óbito pouco depois. Estive no local juntamente com Ana, sua esposa, seus irmãos Arivelto e Sílmia e esposo Guada, entre outro familiares e amigos e acompanhamos a remoção de seu corpo para os trâmites fúnebres. Ele trabalhava incansavelmente na produção de obras tanto para a inauguração da tão sonhada galeria que está linda e construída pelas próprias mãos, quanto para a exposição que seria realizada em Btrasília no comêço do ano que vem. Mesmo sem o Panta, seria bom que o evento fosse realizado, obras belísssimas não faltam, e seria comcerteza um justo reconhecimento ao seu talento singular e ao seu trabalho genuinamente nativista. Todo pesar e solidariedade meu e de minha família a Ana e filhas Letícia, Juliana e Izabela e Vanessa e a todos os familiares. A missa de 7º dia será celebrada na Igreja Maria Mãe da Igraja, sito a Rua Claudomiro de Morais (Bairro Congós), no dia 02 de janeiro de 2012, às 19h., na paróquia que ele frequentava com a família. Muitos prédiso os prédios de órgãos públicos, instituições e entidades, além, evidentemente de residências e espaços de colecionandores particulares, são decorados com trabalhos do Panta. Todos os dias, nos corredores e salas da Rádio Difusora, um dos lugares onde trabalho, deparo-me com quadros do Pantaleão. É pra nunca mais esquecer. Descanse em PAZ meu amigo!

  • HOMENAGEANDO E DIVULGANDO O COTIDIANO DA CULTURA AMAPAENSE.
    A NECESSIDADE DE FALAR DE SUA EXISTÊCIA,DOS SEUS ANTEPASSADOS E PRESENTE ATRAVÈS DAS ARTES PLÀSTICAS,ETERNIZANDO NO CORAÇÃO E NA HISTÒRIA DA HUMANIDADE AOS APRECIADORES DE CRIAÇÕES AUTÊNTICAS.
    PANTALEÃO È AMAPAENSE,NASCEU NA CIDADE DO AMAPA È VIVEU EM MACAPÀ

  • COMVITE: A FAMILIA ENLUTADA CONVIDA PARENTES ,AMIGOS… PARA A MISSA DE (1 MES) DE FALECIMENTO DO ARTISTA PLASTICO ,ESCULTOR ,ARTE EDUCADOR E PESQUISADOR DAS TERRAS DO AMAPA QUE REALIZAR-SE-A DIA 26.01.2012 (QUINTA-FEIRA) HORA:18:00 H PAROQUIA NOSSA SENHORA DA CONCEIÇAO (BAIRRO DO TREM)…

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *