AL lança seu Portal da Transparência

A Assembleia Legislativa do Amapá lançou na manhã desta segunda-feira (02) seu Portal da Transparência, uma página na internet que disponibilizará todas as informações financeiras do Poder Legislativo, um avanço inédito na história da AL. O lançamento aconteceu em um café da manhã que reuniu no Salão Nobre da Casa deputados estaduais e integrantes da bancada federal do Amapá, como a deputada federal Dalva Figueiredo (PT-AP) e o senador João Alberto Capiberibe (PSB-AP).
Na apresentação oficial do portal, o especialista Luís Eduardo Cantuária, que é bacharel em sistema de informações, a página conta com os mais modernos recursos para dar transparência não só aos gastos, mas também ao trabalho de cada parlamentar. “O portal disponibiliza informações como o detalhamento das despesas dos gabinetes parlamentares, gastos com manutenção, com pessoal e também sobre licitações”, disse o técnico.
A deputada federal Dalva Figueiredo, que é coordenadora da Bancada Federal, felicitou a atual administração da Assembleia Legislativa do Amapá, não somente pelo lançamento da página de prestação de contas como também pelos demais avanços em infraestrutura e modernização administrativa. “Os recursos públicos que utilizamos no exercício do nosso mandato são fundamentais para a atividade parlamentar e prestar contas deles na internet além de legal é demonstração de respeito ao contribuinte”, disse a deputada.
Dalva também falou sobre como a Câmara Federal remunera as despesas dos deputados. Segundo ela, cada parlamentar dispõe de R$ 60 mil para contratação de assessores e outros R$ 32 mil para outras despesas, como passagens aéreas, hospedagem, transporte e alimentação. “Existem políticos poderosos que podem arcar com essas coisas, mas gente como eu, que sou apenas uma servidora pública, preciso desses recursos para ir às aldeias, ao Jari, para as assembleias das emendas participativas”, disse ela.
O senador João Capiberibe, que é autor da Lei Complementar nº 131, a chamada Lei da Transparência, disse que tem visitado vários estados brasileiros por ocasião de lançamentos de portais da transparência. “Já disse ao Alípio Júnior, diretor do Prodap, que gostaria de ver as receitas do Estado também na internet, com informações em tempo real sobre as contas do ICMS e do IPVA”, disse Capiberibe, que parabenizou o presidente da AL pela iniciativa.
Falando em nome dos demais parlamentares, o primeiro-secretário da AL, deputado Edinho Duarte (PP), disse ser este um avanço histórico para o Legislativo Estadual, pois em outros tempos da Assembleia “não toparia” um desafio desses, que é dar publicidade às suas despesas. “Seu gesto enaltece cada vez mais essa Casa, apesar de muita gente ter dificuldade de perceber essa nova realidade”, disse Duarte, que é co-gestor da atual administração.

Não há democracia plena sem parlamento forte, diz presidente da AL

Sem esconder a enorme satisfação em estar fazendo história à frente da Assembleia Legislativa, o presidente Moisés Souza (PSC) se disse muito feliz com o lançamento do Portal da Transparência, que surge em um momento de autoafirmação da AL, mesmo diante de eventuais ataques desferidos contra aquele Poder.
Para Moisés Souza, quem fala mal do Legislativo fala mal da democracia. “Não existe democracia plena sem um parlamento forte”, disse ele, que depois citou os fundamentos da Revolução Francesa, de liberdade, igualdade e fraternidade, para reforçar sua empolgação com os resultados altamente positivos do primeiro ano de sua gestão.
O presidente da AL citou as reformas implementadas durante sua gestão, entre elas ter assumido a continuidade da obra do Edifício Anexo da AL, que estava abandonada, sob a responsabilidade do Governo do Estado. “Foram muitas as mudanças, todas para melhor, num processo de resgate da autoestima dos parlamentares, dos servidores desta Casa como também pensando na sociedade amapaense, que a cada dia confia mais e acessa mais os serviços da Assembleia Legislativa”, comemorou o presidente.
Moisés Souza também falou aos jornalistas a respeito das novas possibilidades que o Portal da Transparência irá proporcionar à cobertura diária das atividades dos deputados. “Através de consultas a relatórios de desempenho na elaboração de proposições no perfil de cada parlamentar, tudo em tempo real, de modo que a sociedade tenha acesso às informações deste Poder”, completou o presidente.


Departamento de Comunicação
Assembleia Legislativa do Estado do Amapá

  • Louvado seja Deus.
    Toda vez que acessava o site da AL/AP, procurava saber onde estava sendo investido o dinheiro do povo sofrido deste Rincão Brasileiro, porém, não encontrava. Agora com o portal da transparência, todos podem ter acesso aos gastos daquela casa de leis. É o que se espera!

  • Com todo respeito ao sr. presidente da ALAP, o portal da transparência da ALAP deixa muito a desejar, pois não demonstra os gastos dos meses de janeiro a outubro, e ainda, não apresenta de forma detralhada os gastos dos parlamentares! Fica aqui a critica ao portal para que este melhore para dar transparência as contas da ALAP! O que é triste é saber que os deputados estão gastando 50 mil reais por mês em verba indenizatória, é muito para a nossa realidade!

  • É fato que os portais da Tranaparência são um instrumento importante e necessários à prestação de contas dos gestores públicos com a população, assim como aos órgaõs de Controladoria e que trabalham com investigação. Não basta apenas colocar as informações nos portais. É fundamental que essas informações reflitam a verdade e a clareza com que são postados. É evidente que depende do gestor de cada pasta. Não esperem que num passe de mágica, nossos homens e mulheres do poder informem timtim por timtim, tudo o que gastam e como gastam cada centavo. A sociedade organizada, assim como o povo em geral tem de ficar atenta e cobrar a Transparência total das informações. Concordo que não há MEIA TRANSPARÊNCIA. Havendo meia transparência NÃO É TRANPARÊNCIA e sim engodo e enrolação para todo tipo de ilícito. Sua atualização tem de ser em tempo real e não pode sonegar informações e nem passar semanas em manutenção Tudo tem de está lá: licitações; contratos; locação de veículos; verbas de gabinete; verbas de mandato; verba indenizatória; gastos da residência oficial; gastos de veículos de todos os poderes; número de assessores reais e também dos fantasmas; salários, subsídios, penduricalhos; CPF, CGC, endereço da firma ou da pessoa física, telefone de contato, faturas, etc, etc, etc…

    Sei que isso é impossível, mas não custa nada sonhar!

    • creio que para a transparência a melhor solução seria regulamentar e padronizar as informações lá contidas. no Judiciário o CNJ regulamentou, padronizou e fiscaliza as informações de gasto público. aqui deveríamos ter o tribunal de contas para coordenar estas informações além de fiscalizar cobraria multa para quem não cumprisse com a lei.

  • ABSURDO!! R$ 60 MIL para contratação de assessores e outros R$ 32 MIL para outras despesas, como passagens aéreas, hospedagem, transporte e alimentação. Mínimo de 92 MIL para cada parlamentar.
    Políticos corruptos, bando de sanguessugas, vai aí uma dica, tirem 10% desse valor e façam algo em prol dos mais necessitados ao invés de ficarem gastando por aí com luxos pessoais e dos agregados puxa-sacos.

  • O mais bacana é ver as velhas caras no ano novo! Vide imagem a comunicação mandou, perceba a expressão da Crisitina Almeida ao lado dos ilustres Edinho (sem bigode, foi promessa?) e, Roseli(a mesma que representou contra Cristina, caso CQC). Como fazem os colunistas sociais mais bregas, Cristina Alameida “ladeada”(que coisa cafona esse termo)dos amigos. Kkkkkkkkkkkkkkk

  • Sinceramente!Os gastos foram alterados.
    Não vejo transparencia alguma no site da Assembleia Legislativa do Amapá
    em relação à despesas relacionadas ao exercício do mandato de cada parlamentar , se você notar cada parlamentar não gastou no mes de Novembro
    de 2011, mais do que 50.000, sempre ficou variando em 40.000 à 49.e alguma coisa
    Sinceramente! Foi MAQUEADO.
    Nisso eu Concordo com o Senador João Alberto Capiberibe

  • As informações devem ser postas em um sistema tipo o SIAFE, onde e visto on-line real time toda a contabilidade pública, com os empenhos, nome de empresas contratadas, licitações, valor do repasse do duodécimo e saldos, será?, outra coisa, o choro da Dep Dalva é “comovente”

  • Verdadeiro PORTAL DA INDECÊNCIA. Senhores deputados troquem para PORTAL DA TRANSPARÊNCIA e com TODOS os dados desde maio/2011, conforme determina a Lei. Incluam o quanto custou a festa para o lançamento do primeiro portal, o da indecência. Farão nada mais do que a obrigação. Isso sim é o exercício da verdadeira democracia.

  • Esse portal da AL de transparente não tem nada.

    um monte de informação vazia, mascarada e conivente com valores ilícitos e pré-estabelecidos.

    É apenas “para inglês ver” e para dar um “cala-boca” no povo, que ignorante, vai continuar sendo escravizado e alienado a esses corruptos.

    Quem dera o nosso país se espelhasse na CHINA no quesito educação.

    EDUCAÇÃO
    EDUCAÇÃO
    EDUCAÇÃO

    É O QUE O POVO PRECISA!!!

  • Transparência na ALAP, em se tratando de determinandos parlamentares, rum. Conversa pra boi dormir semelhante ao tal “governo parale(zo)lo. E tome CQC!

  • kkkk…..até o Rio Tietê é mais transparente que esse portal ai.E quem é essa senhora de calças jeans?Que modelito,em…Aff!

  • A verba indenizatoria é um recurso que os deputados tem a disposição para uso com viagens,locomoção dentro da cidade e outras dispezas mas acho o valor muito auto e mais, é pra uso em favor da sociedade, e por isso deve ser prestado conta desses valores.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *